Últimas Notícias

Família faz campanha para pagar cirurgia de agricultora diagnosticada com câncer

Assim que foi diagnosticada com a doença, agricultora procurou o hospital, mas foi informada que as cirurgias estavam suspensas

Créditos: Anderson Soares
Maria Dalcir da Conceição Silva, 56, foi diagnosticada com câncer há cerca de três meses - Arquivo pessoal

Os familiares da agricultora Maria Dalcir da Conceição Silva, de 56 anos, diagnosticada com câncer há cerca de três meses, iniciaram uma campanha nas redes sociais com intuito de levantar fundos e conseguir ajudá-la a se submeter a um procedimento cirúrgico em um hospital particular em Boa Vista.

Ao sentir fortes dores, a agricultora se submeteu a uma bateria de exames, quando descobriu que estava com câncer no colo do útero. Por conta da doença, Maria teve de deixar a casa que morava no município de Cantá, interior de Roraima, e passar a residir em Boa Vista com uma filha, a dona de casa Maria Simone, 35 anos.

Assim que foi diagnosticada com a doença, a agricultora procurou um hospital da Capital, mas foi informada que no momento as cirurgias estavam suspensas e que não tinha previsão para quando iria normaliza. A alternativa, segundo informou a filha dela, foi procurar atendimento na rede particular.

No entanto, esbarraram no alto valor cobrado para realização da cirurgia: R$ 18 mil, recurso que a família alega não ter. Por isso, decidiram fazer a campanha na internet e tentar conseguir o montante para que a agricultora se submeta o mais breve possível ao tratamento para combater a doença.

"Procuramos a rede particular porque pelo Estado a previsão é somente daqui um ano, e a gente não pode esperar todo esse tempo. É uma vergonha, pois a gente paga os nossos impostos e quando o pobre precisa de uma cirurgia não consegue, mesmo tendo direito", reclamou a dona de casa.

Ainda de acordo com a filha da agricultora, não restou alternativa à família a não ser pedir ajuda da população. "Como a gente é humilde temos que pedir ajuda. É minha mãe e não vou ficar de braços cruzados enquanto ela fica nessas condições. Ela não vai ficar desamparada", afirmou.

Por conta da doença, a agricultora ficou debilitada e recentemente contraiu pneumonia, mas já apresentou melhoras. A filha teme pela vida da mãe, caso ela não seja submetida ao procedimento cirúrgico o quanto antes.

"Ela já fez o risco cirúrgico, só que o doutor falou que tem de ser logo [a cirurgia] porque a doença piora e quanto mais o tempo passa ficar mais complicado", comentou, ao acrescentar que as pessoas interessadas em ajudar a agricultora podem comparecer na casa onde ela mora atualmente, localizada na Rua Carmelo, 830, bairro Silvio Botelho. Mais informações sobre como ajudar podem ser obtidas pelo telefone (95) 99122-3807.

SEE ALSO ...