Últimas Notícias

Funcionários de terceirizada da Saúde cobram três meses de salários atrasados

Trabalhadores realizaram manifestação em frente à Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), nessa terça-feira (8)

Créditos: Bryan Araújo
Protesto ocorreu em frente à Secretaria de Saúde - Edinaldo Morais/Roraima em Tempo

Funcionários da empresa terceirizada Distribuidora Vril Comércio Odonto Médico Hospitalar Eireli, que trabalham na área de serviços gerais e vigilância nas unidades de saúde do estado, fizeram uma manifestação, nessa terça-feira (8), para cobrar o pagamento de três meses de salários atrasados.

A mobilização ocorreu de forma pacífica em frente à Secretaria Estadual de Saúde (Sesau). Foram ao protesto 28 funcionários da companhia. Os trabalhos estão paralisados desde o dia 27 de setembro e não há previsão de retorno das atividades, informaram.

O servidor Thiago Carvalho disse que há quase três meses deixou de receber salário e os vales alimentação e transporte. Ele contou que sobrevive de empréstimos e ajuda de amigos e familiares.

"Quando questionamos a empresa, nos pedem para cobrar a Sesau. Quando questionamos a Sesau, nos pedem para cobrar a empresa. Isso é desumano e a gente não tem explicação", lamentou Carvalho, ao acrescentar que já são nove dias cobrando o Estado.

De acordo com os terceirizados, o governo culpa a empresa pelo atraso dos pagamentos, já que o repasse dos recursos só poderia ser feito se a empresa regularizasse a documentação junto à pasta.

"Estamos agindo como intermediário, fazendo a negociação da empresa com a Sesau. Estamos correndo atrás do que a empresa deveria fazer", declarou um manifestante.

Outro servidor, que preferiu não se identificar, disse que todos os dias "tem sido um sufoco" na vida dos servidores da empresa, e que já responde a processos devido à falta de pagamento de dívidas.

"Estamos lutando, pois muitos pais de famílias estão recebendo notificação da Justiça para pagar dívidas. Meus filhos, muitas das vezes, pedem um pão para comer e eu não posso oferecer, por causa da falta de pagamento", relatou.

DOCUMENTAÇÃO

À reportagem, o secretário adjunto da Sesau, Francisco Monteiro, afirmou que o atraso dos salários decorre da falta de regularização documental da terceirizada, que demorou a enviar as notas dos serviços prestados à secretaria.

"A empresa precisa fornecer as informações do serviço prestado e apresentar notas. A partir disso é convocada uma séria de trâmites para conferência dos serviços, o que culmina com o acompanhamento da Controladoria e da Procuradoria nesse sentido", esclareceu Monteiro.

Ainda de acordo com o secretário ajunto, esse é um processo que demanda tempo e a demora da empresa na regularização dos documentos corresponde em um espera ainda maior quanto ao pagamento dos salários.

"No serviço público infelizmente temos que cumprir esse tempo necessário para essa aferição. Falamos para que os funcionários procurassem a empresa para realizar essa cobrança e a empresa sabe que para receber precisa apresentar essa documentação", concluiu.

O Roraima em Tempo não conseguiu contato com a empresa. O espaço está aberto para manifestação.

SEE ALSO ...