Últimas Notícias

Indígena é a primeira a receber dose da vacina contra a Covid-19 em Roraima

Além dela, foram imunizados a técnica de enfermagem Gilda Aparecida, e o idoso José Ribeiro, de 80 anos

Créditos: Josué Ferreira, Yara Walker
Yolanda vive em comunidade da Raposa Serra do Sol - Yara Walker/Roraima em Tempo

"Sendo a primeira pessoa a representar os indígenas é gratificante. Me senti agraciada. Me preparei durante a pandemia. Trabalho com medicina tradicional indígena e produzimos remédios para ajudar nossos parentes. [Mas] mesmo com os remédios, representando meu povo, quero que todos recebam e possam confiar [na vacina]", declarou a indígena macuxi Iolanda Pereira, 45 anos, a primeira a ser vacinada contra a Covid-19 em Roraima.

Iolanda mora na comunidade Uiramutã, na Terra Indígena Raposa Serra do Sol, extremo Norte de Roraima. Além dela, a técnica em enfermagem Gilda Aparecida, e o idoso José Ribeiro, de 80 anos, que vive em um abrigo da capital, foram imunizados, dando início a uma campanha de esperança e melhoria no sistema público de saúde.

"Nestes 10 meses de trabalho na linha de frente da pandemia, sempre no bloco de isolamento, recebi o primeiro paciente com Covid-19. Não fui infectada, mas tive medo. Por isso, espero que todos se vacinem. Essa doença não é brincadeira. Vi muitas pessoas se tornarem vítimas. Peço que todos se imunizem", externou Gilda.

PROFISSIONAIS

Técnica em enfermagem foi a segunda a ser vacinada - Foto: Yara Walker/Roraima em Tempo

O secretário de Saúde, Marcelo Lopes, projetou que até o próximo fim de semana todos os 14,3 mil profissionais que atuam na linha de frente da pandemia vão estar imunizados.

A CoronaVac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, é aplicada em duas doses. A segunda aplicação da vacina ocorre de 14 a 28 dias após a primeira. Por isso, as primeiras 87,7 mil doses devem imunizar 43,8 mil pessoas.

Todos os 15 municípios vão receber hoje a CoronaVac. A logística usada será terrestre ou fluvial. O secretário Marcelo explicou que existem 170 salas de vacinação em Roraima, mas não especificou quantas doses serão enviadas para cada uma das cidades. "Quem tem mais sala recebe mais", resumiu.

Pessoas infectadas que estão internadas dependem de avaliação médica para receber a vacina.

MEDIDAS

Idoso foi o terceiro a ser vacinado - Foto: Yara Walker/Roraima em Tempo

A primeira carga da CoronaVac chegou ao estado na madrugada desta terça-feira (18) e está armazenada na sede do Núcleo Estadual do Programa Nacional de Imunização. De acordo com o governador Antonio Denarium (sem partido), o estado recebeu mais doses devido à população indígena.

Ele afirmou que nos próximos dias o estado vai receber mais vacinas, mas não especificou quantas e quando vão chegar. O gestor disse que a população está confiante na vacina e ponderou que os moradores mantenham as medidas preventivas contra o coronavírus.

"A vacina vai acabar com esse problema vivido por todo mundo. Existe preocupação com as aglomerações. Em todas as oportunidades reforçamos que para combater a doença é com higienização, máscara, álcool em gel, isolamento social e evitar aglomeração", declarou.

Não há datas para serem iniciadas as segunda e terceira etapas em Roraima. A vacina será liberada à população geral após os grupos prioritários serem imunizados.

CASOS

Os primeiros casos de coronavírus foram registrados em Roraima no dia 21 de março de 2020. De lá para cá, o estado registrou 71.232 pacientes com a doença e 816 mortes.

Por conta do aumento no número de casos nos últimos dias, o governo reativou barreiras sanitárias na divisa com o Amazonas e no Aeroporto Internacional de Boa Vista. Mais de duas mil pessoas passaram pelos locais.