Últimas Notícias

Operação Acolhida passa a apoiar ações de acolhimento aos venezuelanos em Manaus

Serviços já estão em funcionamento, segundo Exército; resolução autorizando apoio foi publicada nesta semana

Créditos: Da redação
Imigrantes vivem nas ruas de Manaus, semelhante ao que ocorre em Roraima - Divulgação/MPAM

A Operação Acolhida informou, nesta quarta-feira (14), que uma resolução do Comitê Federal de Assistência Emergencial, da última segunda-feira (12), autorizou apoio ao Amazonas, nas ações humanitárias de atendimento aos imigrantes e refugiados venezuelanos.

Segundo a assessoria de comunicação, o apoio consiste no reordenamento do Terminal Rodoviário de Manaus Engenheiro Huascar Angelim, com o estabelecimento de um Posto de Recepção e Apoio, semelhante ao que ocorre em Boa Vista e Pacaraima.

O espaço tem ponto de informação, espaço para crianças, guarda-volumes, instalações sanitárias, chuveiros, lavanderia, área de secagem de roupas, área de distribuição de doações e alimentos e um refeitório.

"Todos esses serviços já se encontram em funcionamento, com a participação da Força-Tarefa Logística Humanitária, Agências da ONU, ONG, entidades religiosas, além da forte atuação do próprio Governo Estadual e Municipal. Em breve, será estabelecida uma área de pernoite protegida para famílias, mulheres e homens desassistidos", complementou.

Ainda de acordo com a Acolhida, está em fase de construção um Posto de Interiorização e Triagem, para permitir a regularização de documentos migratórios, emissão de CPF e Carteira de Trabalho, vacinação e, principalmente, uma Seção de Interiorização.

"Como parte do Processo de Interiorização, foi estabelecido um Alojamento de Trânsito, com capacidade para 300 pessoas, aproveitando os diversos voos diários de Manaus disponibilizados por meio de vagas oferecidas pelas principais empresas aéreas do País, de acordo com o Protocolo de Cooperação, assinado em 25 de junho de 2019", detalhou.

Já os abrigos para indígenas e não indígenas, existentes na capital amazonense, seguirão sob a coordenação e gestão do Governo Estadual e Prefeitura, podendo a Operação Acolhida, caso necessário, "realizar ações complementares, principalmente de assessoria, aproveitando as melhores práticas que ocorrem na capital roraimense", finalizou.

SEE ALSO ...