Últimas Notícias

Paciente internada no Hospital das Clínicas espera há dois meses por cirurgia urgente

Laiz Brenda, de 28 anos, entrou em contato com Roraima em Tempo para denunciar que aguarda por cirurgia para tratar de pancreatite aguda

Créditos: Pedro Barbosa
Paciente está internada há dois meses - Arquivo/Roraima em Tempo/Edinaldo Morais

Lais Brenda, de 28 anos, está internada há dois meses devido a uma pancreatite aguda e uma pedra no canal bilial. Com o passar do tempo, a infecção se alastrou para outros órgãos, como pulmão, fígado, estômago e rins. Atualmente, ela está no Hospital das Clínicas e aguarda pela única solução: uma cirurgia.

A paciente contou ao Roraima em Tempo que espera pelo procedimento há dois meses, mas desde a semana passada funcionários afirmam que não há insumos necessários para retirar a pedra no canal biliar e a vesícula.

"Os médicos chegaram à conclusão que as medicações que eu tomava não faziam efeito, e precisaria de uma cirurgia urgente. Infelizmente, ainda aguardo resposta do governo. O que os funcionários me falam é que faltam materiais para o procedimento, como anestesia", explicou.

Desde o dia em que foi internada, em 28 de dezembro de 2020, o cotidiano de Lais mudou drasticamente. Ela é empregada doméstica e relatou que sente falta da família, e que parentes vão denunciar a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) devido à demora no tratamento.

"Sou mãe solteira, tenho cinco filhos, e fazia serviços domésticos para pagar o aluguel e sustentar todos. Nos últimos meses, amigos vêm ajudando a pagar as dívidas, mas ainda quero sair daqui", disse.

CITADA

A Secretaria de Saúde informou que a paciente recebe assistência médica desde que deu entrada no Hospital das Clínicas, e que é acompanhada pela equipe multiprofissional da unidade, passando por avaliação médica diariamente.

"Ressalta que as cirurgias de urgência e emergência estão sendo realizadas, uma vez que os hospitais, incluindo o Hospital das Clínicas, recebem da Coordenadoria Geral de Assistência Farmacêutica insumos necessários para a realização de cirurgias", garantiu.

Contudo, segundo a Pasta, procedimentos em que não há risco de morte são realizados conforme agendamento. "A gestão tem adotado todas as medidas necessárias para garantir a aquisição de insumos necessários para procedimentos cirúrgicos, por meio de compra anual e que aguarda a entrega dos materiais pela empresa", finalizou. 

SEE ALSO ...