Últimas Notícias

Prefeito pede reforço policial durante protesto em Pacaraima, fronteira com a Venezuela

Manifestação está marcada para ocorrer na manha de sábado (17); ato é para pedir apoio do Poder Público

Créditos: Anderson Soares
Cidade faz fronteira com a Venezuela e já foi palco de confronto entre brasileiros e venezuelanos - Arquivo/Roraima em Tempo/Edinaldo Morais

O prefeito de Pacaraima, Juliano Torquato (PRB), solicitou reforço policial durante um protesto que está marcado para ocorrer na manhã deste sábado (17), no município, que faz fronteira com a Venezuela. Ele não soube informar o número de agentes que devem atuar para garantir a segurança da população.

A solicitação ocorreu em reunião nesta semana com um capitão da Força Nacional de Segurança (FNS), e dois coronéis, sendo um do Exército e outro da Polícia Militar. O apoio foi solicitado verbalmente.

"Durante a reunião, eu falei da reivindicação que vai ocorrer no município. Não disse nem trazer gente de fora, o que tem aqui é suficiente. É só para deixar o pessoal consciente para acompanhar [o ato]. Como um ato democracia, a população tem todo direito de estar reivindicando o que lhe é afetado", comentou Torquato.

A reivindicação dos moradores tem como objetivo pedir apoio dos governos Federal e Estadual, quanto ao reforço e investimento no setor da Segurança na cidade fronteiriça, uma fez que os índices de criminalidade na região aumentaram nos últimos anos, principalmente, por conta da migração venezuelana.

Para o chefe do Executivo Municipal, a manifestação deve ocorrer de forma pacífica, no entanto, preferiu solicitar apoio policial para que tudo seja tranquilo. Ele acredita que o ato também será realizado por venezuelanos que moram em Pacaraima, pois eles também são prejudicados com a criminalidade.

"Se a gente for pontuar, pelo menos 50% da população de Pacaraima hoje são venezuelanos, tanto no comércio, como nas escolas, e até funcionários de empresas. A população não vai protestar contra venezuelanos, mas, sim, pedir que as autoridades tenham um olhar diferenciado porque a cidade aumentou. Antigamente, tínhamos um pelotão com 18 PMs para uma população de 5 mil habitantes. Hoje, passa de 10 mil e o efetivo é o mesmo", frisou.

Segundo o prefeito, a situação do município é preocupante. "Tem de se botar ordem na casa", avaliou. "O oportunismo das pessoas que, às vezes, têm vontade de fazer coisas erradas, está prejudicando as pessoas de bem", complementou.

Questionado sobre quais polícias devem acompanhar o protesto, o prefeito disse ainda não ter essa informação de forma oficial, mas acredita que todas que atuam no município irão reforçar  segurança durante o ato.    

PROTESTO

Durante a semana, circulou nas redes sociais um contive para participação da manifestação em Pacaraima. Conforme anunciado, a concentração será em uma quadra de esporte, que fica ao lado do prédio da prefeitura. O ato deve ocorrer neste sábado (17), a partir das 9h.