Últimas Notícias

Suspeito de estuprar e engravidar garota de 13 anos em comunidade indígena é preso

Segundo a denúncia Dercival Silva estuprou a filha de uma prima

Créditos: Nonato Sousa
Quando adolescente, Dercival Silva se envolveu na morte de um policial civil - Divulgação/PC

A Polícia Civil informou a prisão de Dercival Laurentino da Silva, 28, no município do Bonfim, Nordeste de Roraima. Silva foi preso por ordem da Justiça, em caráter preventivo atendendo ao pedido do delegado de Polícia Civil Eduardo Batista, que o investiga por prática de estupro de vulnerável. A vítima é uma garota de 13 anos, filha de uma prima dele, que ficou gravida após os abusos sequenciais que sofreu.

A prisão do suspeito ocorreu na terça-feira (25), e foi cumprida pelo delegado, após agentes da delegacia de Bonfim localizá-lo. Segundo informou Batista, o crime ocorreu na comunidade indígena do Manoá, zona Rural do Bonfim, onde a garota mora com a família.

"A denúncia foi feita na delegacia pelos conselheiros tutelares do município após terem conhecimento do caso. Foi instaurado o inquérito policial para investigar o crime e durante o procedimento policial ouvi os conselheiros, a mãe e a garota que relatou como o crime era consumado", explicou o delegado.

Ainda de acordo com a autoridade policial, a vítima detalhou que foi estuprada por quatro vezes pelo primo da mãe sobre grave ameaça com uma faca. "Ela disse que temia ser morta e por isso não reagia nem contava para a família", disse Batista.

Após ouvir a vítima, gravida de três meses, imediatamente o delegado disse que formalizou o pedido de prisão do acusado, para cessar a ação criminosa e evitar novas investidas. O promotor deu parecer favorável e o juiz da Comarca Judiciária do Bonfim concedeu logo depois.

PERIGOSO

Batista frisou que Silva é considerado perigoso e lembrou que no ano de 2008, quando ainda era adolescente participou do assassinato do policial civil do quadro da União, Vanderval Mendes Coutinho, que trabalhava na delegacia de Bonfim. O crime foi cometido por ele e dois irmãos maiores. "Na época, por ser menor de 18 anos ele foi apreendido e recolhido ao Centro Socioeducativo (CSE), mais ficou apreendido apenas dois meses", informou o delegado.

Passados alguns anos, já maior de idade, em janeiro de 2017 Silva foi preso em flagrante por porte ilegal de arma, mas a pena foi alternativa de prestação de serviço à comunidade e ficou em liberdade. Agora ele volta para a prisão, desta vez por um crime hediondo.

Ainda na terça-feira depois de ser interrogado pelo delegado acerca da acusação de estupro, Silva foi conduzido a Boa Vista, fez exame de integridade física no Instituto de Medicina Legal e depois foi recolhido ao sistema prisional, onde deve ficar à disposição da Justiça.

INTERROGATÓRIO

De acordo com o delegado, Silva confessou em partes o crime. Disse que manteve relações sexuais com a vítima por quatro vezes, do início de dezembro do ano passado ao final de janeiro, deste ano. Esta afirmação contraria a declaração da vítima de que foi abusada de janeiro a março, e que em março ela ficou gravida. Ao saber da gravidez o suspeito não a abusou mais dela.

O suspeito alegou que as vezes que teve relação sexual com a garota não foi forçado e que tudo foi com o consentido dela. Negou que usava uma faca para ameaçar e forçar a vítima ao ato sexual. "Apesar do alegado consentimento este não é válido e é considerado estupro de vulnerável, pois a vítima só tem 13 anos", disse Batista.

SEE ALSO ...