Últimas Notícias

Verdade ou mentira: confira cinco informações sobre o coronavírus

Veja a explicação para cinco boatos que estão circulando sobre o vírus

Créditos: Educa Mais Brasil
É importante buscar os meios oficiais para checar as informações duvidosas - Divulgação

Com o aumento de casos do Covid-19, o novo coronavírus, no Brasil, outros dados também têm preocupado e chamado a atenção de autoridades: as fakes news sobre a doença. Além de desinformar a população, as notícias falsas podem causar danos maiores como a exposição à contaminação do coronavírus.

Neste momento, além de manter a calma e redobrar os cuidados - lavando as mãos e ficando sempre em casa, se possível - é importante buscar os meios oficiais para checar as informações duvidosas sobre o vírus e, antes de tudo, não repassar quando perceber que há algo estranho na mensagem.

O Ministério da Saúde, por exemplo, está disponibilizando um número de WhatsApp para envio de mensagens da população. Não é um canal para tirar dúvidas, mas um espaço exclusivo para receber e apurar informações que estão sendo compartilhadas. O número é (61) 99289-4640. O ministério também possui um espaço em seu site apenas para desmentir informações falsas. Para acessar, basta clicar aqui.

Confira, abaixo, cinco boatos sobre o coronavírus

  1. COVID-19 resiste a temperaturas superiores a 26ºC

É mentira. Em temperaturas acima de 30 graus o tempo de permanência do vírus no ambiente pode ser reduzido, mas não eliminado por completo. O Ministério da Saúde também ressalta que não há nenhum indicativo de que a informação seja verdadeira e lembra que o vírus tolera, pelo menos, 36ºC, temperatura do corpo humano.

  1. Produtos importados da China podem conter o vírus

O vírus não sobrevive mais de 24 horas fora do corpo humano e de outros seres vivos. Além de não ter nenhuma informação sobre produtos da China infectados, o tempo de tráfego dos mesmos é alto, eliminando a presença do vírus nas embalagens. O Ministério da Saúde também reforça que a Anvisa monitora diariamente aeroportos, portos e fronteiras.

  1. Gargarejo com água morna ou chá elimina o vírus

Não há nenhuma comprovação científica para o boato. Ao G1, o médico infectologista e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia, Leonardo Weissman, afirmou que "dizer que água morna, sal e vinagre eliminam o vírus é uma grande bobagem". Em seu site, o Dr. Drauzio Varella também explica que a utilização de enxaguantes bucais não previne contra contaminação do coronavírus, servindo apenas para eliminar micróbios presentes na boca.

  1. Coronavírus veio dos animais

É mentira. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), não há  nenhuma informação de que o coronavírus tenha vindo dos animais. O órgão ressalta, ainda, que as investigações sobre a origem do vírus ainda estão em andamento. Vale lembrar que ocorre pelo ar ou em contato com secreções contaminadas como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo (toque ou aperto de mão) e contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

  1. Vitamina C ajuda a prevenir

É fake. Tanto a OMS quanto o Ministério da Saúde desmentem a mensagem que circula com essa informação. Até o momento, não há um remédio específico contra o vírus. A principal medida preventiva contra a contaminação segue sendo lavar constantemente as mãos com água e sabão e evitar contato com pessoas infectadas.